Uma ostra que não foi ferida
não produz pérolas
     



POSTs mais antigos:

Novembro de 2019
Outubro de 2019
Agosto de 2019
Junho de 2019
Abril de 2019
Março de 2019
Janeiro de 2019
Dezembro de 2018
Novembro de 2018
Outubro de 2018
Setembro de 2018
Agosto de 2018
Julho de 2018
Junho de 2018
Maio de 2018
Abril de 2018
Março de 2018
Fevereiro de 2018
Janeiro de 2018
Dezembro de 2017
Novembro de 2017
Outubro de 2017
Setembro de 2017
Agosto de 2017
Julho de 2017
Junho de 2017
Maio de 2017
Abril de 2017
Março de 2017
Fevereiro de 2017
Dezembro de 2016
Novembro de 2016
Outubro de 2016
Setembro de 2016
Agosto de 2016
Julho de 2016
Junho de 2016
Maio de 2016
Abril de 2016
Março de 2016
Fevereiro de 2016
Janeiro de 2016
Dezembro de 2015
Novembro de 2015
Outubro de 2015
Setembro de 2015
Agosto de 2015
Julho de 2015
Junho de 2015
Maio de 2015
Abril de 2015
Março de 2015
Fevereiro de 2015
Janeiro de 2015
Dezembro de 2014
Novembro de 2014
Outubro de 2014
Setembro de 2014
Agosto de 2014
Julho de 2014
Junho de 2014
Maio de 2014
Abril de 2014
Março de 2014
Fevereiro de 2014
Janeiro de 2014
Dezembro de 2013
Novembro de 2013
Outubro de 2013
Setembro de 2013
Agosto de 2013
Julho de 2013
Junho de 2013
Maio de 2013
Abril de 2013
Março de 2013
Fevereiro de 2013
Janeiro de 2013
Dezembro de 2012
Novembro de 2012
Outubro de 2012
Setembro de 2012
Agosto de 2012
Julho de 2012
Junho de 2012
Maio de 2012
Março de 2012
Janeiro de 2012
Dezembro de 2011
Novembro de 2011
Outubro de 2011
Setembro de 2011
Agosto de 2011
Junho de 2011
Maio de 2011
Fevereiro de 2011
Agosto de 2009
Julho de 2009
Junho de 2009
Maio de 2009
Abril de 2009
Fevereiro de 2009
Janeiro de 2009
Setembro de 2008
Julho de 2007
Junho de 2007
Maio de 2007
Abril de 2007
Março de 2007
Fevereiro de 2007
Janeiro de 2007
Dezembro de 2006
Novembro de 2006
Outubro de 2006
Setembro de 2006
Agosto de 2006
Julho de 2006



31 de Dezembro de 2015

A INDÚSTRIA DA MULTA
Dentre as coisas bizarras que tenho visto neste país deturpado pelo pensamento esquerda da modinha, algumas se destacam pela absoluta falta de cabimento, dentro do senso de realidade.

A indústria da multa já não é novidade, mas salta-me aos olhos em notícia do jornal METRO, de 29 de dezembro, com o cumprimento da META DE ARRECADAÇÃO. Uma apoteose comemorativa, uma das poucas metas alcançadas desta gestão medíocre.

Talvez as diretrizes do Haddad (péssimo, como previsto) confundam os canhotinhos se parecendo um Robin Hood, tirando mais da já esfolada classe média, mas não para ajudar os pobres. Corre nos bastidores que o partido da estrelinha tem como diretriz arrecadar o máximo que puder antes da queda da corrupta aparelhagem do estado.

Nunca se lavrou tantas multas como neste ano, grande parte por motivo besta, sem o intuito de educar ou punir, apenas arrecadar: dirigir com uma só mão ao volante, mudar de faixa sem dar seta ou excesso de velocidade a 58km/h numa via de 4 faixas.

Recebi agora DUAS multas, UMA PARA CADA CARRO, NO MESMO DIA, NA MESMA HORA e NO MESMO LOCAL, por não usar a seta numa via de pista única e sentido único, onde não há o que fazer senão seguir reto.

Para bons entendedores, os fatos falam por si, já não preciso de palavras para expressar meu sentimento de indignação. O ano está acabando, é uma coleta desesperada de recursos a toque de caixa.

Em tempo: o Ministério Público já processa o prefeito da modinha por improbidade administrativa. Previsivelmente, o dinheiro das multas está sendo utilizado de forma irregular.

Esquerda caviar, sem mimimi: o dia de vocês está chegando...




09 de Dezembro de 2015

INTREPID - SEA, AIR & SPACE MUSEUM
O porta-aviões INTREPID, uma das estrelas da guerra do Vietnã, está ancorado no píer 84, em New York, e serve hoje como um museu.

Na sua pista de pouso estão diversas aeronaves famosas, e a ENTERPRISE, o primeiro ônibus espacial da NASA. Vale a pena percorrer os estreitos corredores de um navio de guerra.

Para além destes, também fazem parte do complexo o submarino GROWLER, um dos poucos sobreviventes da guerra fria, e o avião supersônico CONCORDE




08 de Dezembro de 2015

GROUND ZERO - WORLD TRADE CENTER
É impressionante o clima de tristeza e respeito que estaciona sobre o local dos terríveis atentados do 11 de setembro de 2001.
Eu, que sou mais sensível à isso, enrolei o nó na garganta por um tempo. Sem selfie e sem sorriso.

Por mais amor nesse mundo. — sentindo-se triste.




08 de Dezembro de 2015

CENTRAL PARK




04 de Dezembro de 2015

TIMES SQUARE
O centro do universo capitalista...

 




 
Marcelo Martins de Albuquerque - ©1997-2019 Todos os direitos Reservados